Segundo um estudo publicado pelo Journal of Applied Physiology, se alongar antes de fazer exercício, no momento de pôr os músculos à prova (levantar um peso, fazer um movimento de interrupção repentina, ou saltar), pode tornar o músculo mais frágil, não diminuindo o risco de lesão.

Os alongamentos, mais relaxados e passivos, devem ser realizados no final, segundo os especialistas, pois ao terminar o exercício, o organismo libera ácido lático através dos músculos e a substância se cristaliza e cria fibras rígidas, por isso, convém frear a perda de elasticidade que se produz como consequência do treinamento, facilitando a recuperação da musculatura e favorecendo a irrigação sanguínea.

Os movimentos devem ser suaves e respeitar os tempos marcados. É importante controlar o alongamento e a postura o tempo todo, sem fazer vaivéns nem rebotes, para que se obtenha um maior relaxamento com a menor atividade muscular e articular possível. Um alongamento nunca deve ser doloroso.

NÃO SE DEVE ALONGAR:

√ Se você for realizar algum tipo de exercício que exige força (alongamentos estáticos).

√ Se sente dor ou tem um estiramento muscular. Um pouco de exercício cardiorrespiratório leve, como caminhar, trará uma sensação de alívio temporária sem comprometer ainda mais as fibras musculares.

√ Se tem tendões ou ligamentos lesionados ou alguma de micro ruptura muscular.

√ Quando a musculatura está sobrecarregada e muito contraída. O excesso de alongamentos pode provocar lesões.

0 comentários

Responder