A maioria dos nutrientes que consumimos são obtidos dos alimentos presentes em nosso dia-a-dia. Porém, em casos de deficiência, podem ser necessárias suplementações nutricionais, quando essas substâncias são obtidas em maior concentração através de produtos encontrados no mercado. Mas você sabe como eles são produzidos?

Por existir uma grande variedade de suplementos alimentares, sua forma de produção também varia. Eles vão desde processos artesanais até processos industriais de altíssima complexidade.

Nos processos artesanais mais simples, a matéria prima é processada e moída, podendo passar por algum tipo de tratamento térmico, sendo então peneirada, misturada e encapsulada para a venda (ou somente disponibilizada nas embalagens como forma de pó ou outro meio).

Nos processos industriais, a matéria-prima passa normalmente por um controle de qualidade mais rígido, e, durante seu processamento, algumas vezes existem etapas que envolvem tratamentos químicos no material para que o objetivo final do suplemento seja atingido. Esses tratamentos buscam a maior pureza do elemento final, sua estabilidade e maior durabilidade.

Na produção do colágeno hidrolisado, por exemplo, a origem das proteínas é principalmente a partir de ossos e cartilagem bovina e de origem marinha. No seu processamento, é feita a hidrólise da proteína (normalmente por ações enzimáticas), que quebra a cadeia de moléculas e agrega água em sua estrutura para aumentar a sua absorção no organismo. Além disso, são adicionados estabilizadores para garantir sua durabilidade e são também adicionados aromatizantes e edulcorantes para melhorar seu gosto e aroma.

0 comentários

Responder